Branding: criando uma marca forte com o E.P.I.C. Brand Framework

Nunca foi tão fácil criar uma marca de sucesso usando essa estrutura.

Criada por especialistas em gestão de marca do Facebook e Instagram, pensando em diversos tipos de negócios, o E.P.I.C Framework facilita o entendimento e o desenvolvimento de marcas nas redes sociais, por meio de 4 áreas simples: 

  • Existência
  • Propósito
  • Identidade
  • Conexão

A simplicidade desta estrutura prova que todos os negócios podem construir marcas fortes e com grande presença na internet.  

Todavia, antes de nos aprofundarmos nas áreas do framework, vamos entender, primeiramente, o que é uma marca.

De acordo com American Marketing Association (AMA) e o livro “Administração de Marketing” de Kotler e Keller, marca é todo símbolo, nome, termo, sinal, design, ou a combinação de todos os elementos, com o objetivo de identificar e diferenciar os bens ou serviços de um fornecedor ou grupo de fornecedores dos seus concorrentes. 

Os aspectos de diferenciação podem ser funcionais, racionais ou tangíveis –  relacionados aos produtos e ao seu desempenho. Também podem ser simbólicas, emocionais e intangíveis – ligadas pelo significado abstrato que a marca pode ter. 

Nesta linha, ao dotar os produtos ou serviços com estes aspectos de diferenciação, estamos praticando branding. 

Então, o EPIC Framework é mais um método, dentre muitos outros, de gestão de marca (branding), que ajuda profissionais de marketing a fortalecerem sua presença perante os consumidores em seus canais digitais.

Vamos conhecer mais sobre as áreas do EPIC?

Área 1 – Existência

Aqui contamos a história da empresa. Diferente do usual, ao criar a história da empresa usando essa estrutura, focamos no “porquê” da marca ser criada, não  somente no “onde e quando”. Ou seja, focamos qual tipo de problemas a empresa tenta resolver e quem são as pessoas que a criaram. 

Essa abordagem se dá pela necessidade do ser humano em estar envolvido com uma história. Amamos contar e ouvir histórias que nos façam sentir envolvidos com os acontecimentos. De acordo com esse vídeo, quando ouvimos uma história envolvente, mais áreas do cérebro são envolvidas; com isso, mais sentimentos são evocados. Nessa dinâmica sua marca se torna mais memorável. 

Então, para conectarmos com nossos clientes por meio da história da empresa, podemos usar a “origin story”. Aprenda sobre os principais elementos de uma história da marca.

Nome dos fundadores

No EPIC Brand Framework, ao escrever a história de origem da marca, é muito importante mencionar o nome de todos os fundadores. Com isso, conseguimos que o leitor consiga imaginar pessoas reais e se envolver mais com a história.

Problemas que os fundadores encontraram

No EPIC é muito importante mencionar qual foi a motivação – o problema – que os fundadores encontraram. Nesta parte entram alguns elementos de narrativa da jornada do herói, onde os protagonistas encontram o vilão para combater. Logo de cara, eles não conseguirão derrotar essa adversidade, mas eles aprenderão uma forma – que será descrita na próxima fase: a solução.

A solução encontrada

Nesta última fase da origin story do framework é importante mostrar ao leitor qual a solução para aquele problema encontrado. E, mais importante ainda, quais as consequências dele – mostrando seu nicho e uma parte do posicionamento da marca.

Estes foram os três pilares de uma origin story forte o bastante para se conectar com seus clientes. Vamos ver um exemplo de como ficaria essa história na prática?

Neste exemplo usaremos uma empresa de mobilidade urbana, como Uber e 99taxi.

A mobilidade na nossa cidade é um caos, demoramos muito tempo para percorrer distâncias pequenas. Quantas vezes já não nos pegamos pensando: “queria que esse transporte fosse mais rápido.”? 

Foi nesta sede por velocidade e melhorar a mobilidade da nossa cidade – desestimulando cada cidadão a usar seu carro, para participar de mais corridas compartilhadas, que eu, X, e meus parceiros, W, Y e Z, criamos a ABC.    

Área 2 – Propósito

Por que você faz o que faz? O que te motiva? Quais os seus valores?

Nesta área, o foco será na construção das crenças e valores que a marca possui. O consumidor atual quer além de consumir, ele quer se conectar com as organizações que compartilham dos mesmos valores que ele tem.

Um exemplo bem simples e prático, pessoas engajadas com causas ambientais e de proteção animal, não consomem ou gostariam de não consumir bens ou serviços de marcas que não compartilham dessas mesmas crenças e valores.

O palestrante e escritor, Simon Sinek, tem uma frase que resume muito bem o propósito da marca.

We don’t buy what a business does but why do it! – Simon Sinek

Esta citação se relaciona diretamente com a estratégia do Golden Circle (Círculo Dourado) – inclusive vou escrever um texto sobre ele, então acompanhe as publicações do blog. Por enquanto, você pode conhecer mais sobre a estratégia clicando aqui.

O propósito de uma marca é um elemento chave para deixar claro seu posicionamento e mercado-alvo, não de forma racional, mas sim a nível emocional. Então, como podemos definir o propósito da marca?

Vamos montar mais um exemplo usando a Apple e o Golden Circle. Confira.

  • Por quê? Para pensar diferente
  • Como? Nós pensamos diferente por meio de lindos produtos projetados.
  • O que? Acontece de projetarmos um computador.

Entenda que nessas declarações, a empresa mostrou seu posicionamento. Primeiro, eles acreditam e aplicam inovação e pensamento criativo dentro de seus processos, quando eles dizem que pensam diferente. Segundo, eles não tem foco no produto em si, eles projetam computadores se estiverem alinhados com seus valores; caso não estejam, eles projetam outro aparelho.

Portanto, com um propósito bem definido, fica muito mais fácil se conectar com pessoas que compartilham dos mesmos princípios.

Área 3 – Identidade

Geralmente, quando se trata de branding, esta é a área mais comum de se desenvolver, pois envolve muitos elementos mais perceptíveis e menos abstratos (de certa forma).

A Identidade da Marca são todos os elementos que fazem a marca se diferenciar de seus concorrentes. Dentro deste conceito, temos os elementos:

  • Logo: Principal elemento de uma marca, pois resume todas as áreas anteriores – origem e propósito.
  • Cores: as cores podem evocar sentimentos e sensações dentro do nosso cérebro; a área que estuda esses efeitos é a Psicologia das Cores. Então porque não utilizá-las para criar uma associação à sua marca?
  • Tipografia
  • Imagens e 
  • entre outros. 

De acordo com David A. Aaker, autor e especialista em gestão de marcas, em seu livro Criando e Administrando Marcas de Sucesso, a identidade da marca proporciona sentido, finalidade e significado à marca, de modo similar à identidade de uma pessoa. 

O autor ainda diz que, a identidade é a forma que a marca quer ser percebida, mediante à estratégia do profissional de branding. 

Portanto, em resumo, levando em consideração que o EPIC foi criado para ser usado dentro do contexto das redes sociais, a identidade é como queremos que os consumidores percebam a empresa, e é por meio dos elementos gráficos (visuais) que todas as associações acontecem como planejado. 

Mas lembre-se que a Identidade de Marca é muito mais que os elementos visuais. Irei fazer um artigo completinho sobre isso. Então aguardem 🙂

Área 4 – Conexão

Finalmente, chegamos a 4ª e última área do EPIC Brand Framework: a Conexão.

Nesta área, determinamos e desenvolvemos o tom e voz da marca, e o estilo de comunicação. Para esta fase, vamos precisar que alguns elementos já estejam preparados, como: a persona, a história da marca, seu propósito e identidade. Ou seja, precisamos que as outras áreas estejam desenvolvidas. Como já conversamos sobre as três outras, irei focar somente na persona.

A persona

Diferente do público-alvo, a persona é o molde do seu cliente ideal. Ela aborda, além dos aspectos demográficos, elementos emocionais e seus hábitos. Entenda melhor a diferença:

Público-alvoPersona
DescriçãoIdade: entre 35 a 40 anosSexo: indiferenteTrabalho: Recursos HumanosRenda: + de 30k/anoGosta de:ViagensBichos de estimaçãoBikingAngel trabalha com recursos humanos, possui 3 filhos, sendo eles, todos menores de 5 anos. Considerada como classe média, Angel é adepta ao biking, viagens e aos bichos de estimação e fica muito feliz quando pode juntar suas três paixões. Acompanha sempre novas tendências de seus hobbies pelo Instagram e YouTube, onde conhece novos lugares para suas aventuras.

Entendeu a diferença entre a persona e o público-alvo? 

Fica muito mais fácil decidir o que e como se comunicar com Angel quando conhecemos mais sobre seu comportamento. A comunicação fica mais personalizada e segmentada, e conseguimos falar com a pessoa certa, no momento certo. 

Ou seja, conseguimos criar estratégias de marketing de alta performance, que converse com as pessoas mais parecidas com a nossa persona.
Por fim, criar uma marca forte está longe de ser inacessível aos pequenos negócios. E com as redes sociais cada dia mais ganhando adeptos, utilizar o EPIC Brand Framework é uma das formas de construir sua presença on-line e se relacionar melhor com sua audiência. Se você quiser mais dicas como essa, siga o meu Instagram. Lá, eu posto dicas, pesquisas, estudos de caso e muitos outros assuntos, para você aprender a montar estratégias de marketing de alta performance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *